quinta-feira, 15 de março de 2007

Agora é sua hora, COLORADO

Reflita. Olhe para trás. Pense mais um pouco. Por quantos momentos difíceis, ruins e terríveis você já passou junto ao Inter? Muitos, com certeza.
Agora pense na alegria que foi a noite de 16 de agosto de 2006. A manhã de 17 de dezembro. Eterna. Para sempre esta alegria infinita estará em tua memória, independente da tua cidade, do teu país, do teu continente. Independente até mesmo de ti. O que todo colorado viveu naqueles dois dias foi uma emoção eterna.
Agora, lembra do que sofremos e batalhamos por isso. As gotas de sangue que Índio derramou no campo de batalha em solo japonês representam a tua luta, torcedor colorado. Representam a luta dos nossos bravos guerreiros. Representam uma coisa que só nós sabemos o que é: a ALMA COLORADA. A Alma rubra, da cor do sangue de Índio. Da cor do teu sangue. Da cor do nosso sangue. Da cor do nosso manto. Da cor das nossas alegrias. Da cor das nossas decepções. Da cor da angútia, do medo, da ansiedade. Da cor do nosso time. A cor do Inter é colorada, vermelha. Faça jus a ela. Nenhuma guerra, nenhuma batalha é vencida sem manchar aos trajes. Quando não existirem mais forças, levante a mão. Um colorado o levantará. Somos uma família, uma nação, que possui uma só causa: o Inter, a Alma Colorada. O nosso sangue.

Lembra deste sangue. Lembra de tudo. Viu como foi difícil chegar até Yokohama? Sim, muito difícil. Mas conseguimos. E conseguiremos denovo. Basta o seu apoio, a sua vontade. Basta a sua Alma. São nas horas ruins que os verdadeiros colorados aparecem. Felizardos aqueles 17.001 da noite de 18/04/2006. São de fé. Foram ver o até então vice-campeão gaúcho jogar, já classificado e em crise, contra o esquadrão do Unión Maracaibo. Foi a fé que motivou os nossos jogadores. Quatro a zero. Esta fé é que deve estar presente em ti, colorado. Esta fé é o combustível para a sua Alma Colorada. E a sua Alma é o combustível para nossos guerreiros em campo. Seja um felizardo. Seja um colorado de fé. Apoie, grite até não ter mais voz. Com certeza, com as conquistas, a sua alegria será maior. Você vai poder gritar, mais uma vez, para o MUNDO ouvir: "Sou um colorado, e de fé. Nos bons e nos mals momentos, mesmo que o Beira Rio se cale e o Manto Sagrado desbote. Sempre colorado". O mundo terá de se curvar a ti. Você é um súdito, um sarcedote do Rei. O braço direito. O que faz ele existir. Somos nós, colorados, que fazemos o Inter existir. Basta olhar para trás. Basta ler a história do Inter. Fomos nós que construímos o Beira Rio. Fomos nós que fomos ao estádio, seja ele Yokohama ou um campo de terra batida. Fomos nós que comemoramos, fomos nós que ficamos tristes. Somos nós que fazemos o Inter existir.

Se você leu até aqui, você é um colorado de fé. Parabéns, você realmente acredita, nem que seja impossível. Nada é impossível para a Nação Colorada. Vender o carro, os cachorros e até a casa e ter que ir morar com a vó para assistir a 2 partidas do outro lado do Mundo é possível. Erguer um Gigante no meio de um lago é possível. Vencer o Barcelona, de estrelas e craques internacionais, é possível. Classificar-se para a próxima fase da Libertadores também é possível. Basta acreditar, ter muita fé, e o mais importante: apoiar. Não importa a sua distância entre o Beira Rio, concentre-se e envie energia positiva para o time. Para a torcida. Envie, pela telepatia colorada, o seu amor, a sua paixão. A sua Alma.

É com esta Alma que você, que estará no Beira Rio, vai gritar. Vai cantar, vai torcer. Vai colocar em prática a paixão colorada, um verbo que nem a rica língua portuguesa tem. Uma palavra inexistente. Esta palavra é o que define o que é ser colorado. Alegrias e tristezas. Angústia e tranqüilidade. Amor, e amor. Não exite um atônimo para o amor colorado. Não existe um revés, não existe nada que possa tocar ao nosso amor sem se ferir. O defendemos com toda a garra, daríamos a nossa Alma por esse amor. Morreríamos, mas com a consciência de que existem outros colorados felizes. Comemorando as grandes conquistas. Não comemorando nada.

Se alguém lhe perguntar: o que você está comemorando pelo Inter? Responda: estou comemorando o amor colorado. Este, nem as derrotas, nem o impossível fazem com que deixe de existir. Comemoro, porque sou colorado. Diga isso. Ele não sabe o que é ser colorado. Nem nós mesmos sabemos... mas nós, e somente nós, os seguidores do manto rubro, sentimos isso na pele, na Alma, no sangue. Sentimos nas alegrias e tristezas. E é nas tristezas que devemos sentir. Devemos sentir orgulho de estar vivendo não só bons momentos, de saber que nada é uma maravilha. Sentir orgulho de ser colorado, nada mais, nada menos.

Então, após ler tudo isto, vá ao Beira Rio. Seja colorado. Seja algo que nem nós conseguimos definir. Vibre, entre em campo se for preciso. Não de corpo, mas de Alma. A Alma colorada estará em campo, sempre. Independente de tudo, o amor colorado sempre existirá. Ele existe. Então, prove. Faça acontecer. Quando as conquistas vierem, todos nós poderemos dizer: "Somos colorados de fé".

Esta fé é a que está presente no Beira Rio, quando cantamos, em um único coro: "Vamo vamo Inter". Vai dizer que nunca se arrepiou ao cantar ou ouvir esta música, ao vivo? Este arrepio é a sua Alma, que também quer gritar. Então, nos próximos jogos, deixe-a livre. Deixe-a cantar. Se arrepie. Faça da sua fé o combustível da Academia do Povo. E faça da Academia do Povo o combustível para a sua fé. Ela estará em campo, você sentirá o que só você sabe sentir, cantará o que só você sabe cantar, e comemorará do jeito que só você sabe comemorar. Um verbo que não existe, do jeito que só você sabe. Só você sabe disto. Então pratique. Vá ao Beira Rio e apoie, vibre, cante e se arrepie. A sua Alma agradece.

Agora é a sua hora, COLORADO! Faça o que só você sabe fazer!

Inter x Vélez Sarsfield
28/03/2007

Um comentário:

Renan disse...

PERFEITO TEXTO. SE O FERNANDÃO LESSE ISSO PARA OS JOGADORES QUEM SABE O TIME SE MOTIVAVA.